Alckmin reforça que não haverá “correria” para anunciar ministros

Geraldo Alckmin e Gleisi Hoffmann. Foto: Rafaela Felicciano

Por Flávia Said

O vice-presidente eleito e coordenador da transição, Geraldo Alckmin (PSB), repetiu, na terça-feira (22/11), em Brasília, que não é necessária “correria” para o anúncio de ministros pelo governo do presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Até o momento, nenhum nome foi indicado em caráter oficial.

“O presidente Lula tem 40 dias para ir anunciando os ministros. Eu me lembro, quando eu fui eleito governador (eu ganhei no primeiro turno), eu só anunciei o primeiro secretário um mês e meio depois. Não deve ter essa correria”, disse Alckmin em coletiva de imprensa na sede do Gabinete de Transição, no Centro Cultural do Banco do Brasil (CCBB).

“O Mercadante lembrou bem: fazer parte do GT não quer dizer que vá ser ministro, são coisas distintas. Esse é um trabalho de levantamento de dados, de propostas, de chamar atenção para temas mais relevantes do ponto de vista jurídico e orçamentário. São coisas separadas, mas mais alguns dias aí começam os novos ministros”, prosseguiu Alckmin.

Deixe um comentário...