A estudante de odontologia Nathiely da Silva do Nascimento, de 20 anos, presa na última quinta-feira (19), por se passar por médica ortopedista no Hospital Municipal Miguel Couto, no Rio de Janeiro, teve sua prisão mantida pela Justiça. As informações são do UOL.

No sábado (21), ela teve a prisão em flagrante convertida para preventiva, após uma audiência de custódia. A defesa da suspeita que pedia liberdade provisória alegava que o crachá do hospital, o jaleco e o estetoscópio, observados no momento da prisão, não eram suficientes para configurar flagrante, pois ela não estaria usando os itens nos leitos.

Porém, o Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro aceitou os argumentos do Ministério Público, que pediu a prisão preventiva de Nathiely. Entre eles, estaria a “necessidade da garantia da ordem pública”, uma vez que segundo uma médica do Hospital Miguel Couto, a suspeita estaria atuando no local desde 15 de junho e, portanto, não se tratava de um fato isolado.

Nathiely também teria apresentado documentação falsa, dizendo estudar medicina na faculdade Souza Marques, o que foi negado pela instituição, e alterando a data de nascimento no crachá que usava.

O juiz Antonio da Fonsêca Lucchese disse que “a prisão se mostra necessária e proporcional, data vênia do entendimento defensivo, devendo ser destacado que os fatos imputados à custodiada são tipificados como crimes graves”.

No Instagram, Nathiely se apresentava como médica especialista em ortopedia e traumatologia, e fingia ter uma rotina de médica. Chegou a publicar fotos de receituários com o nome dela, inclusive com prescrição de corticoide. Ela pode ser punida com pena de 2 a 6 anos de prisão.

Poliana Skaf

Deixe um comentário...