Câmara convoca Heleno para falar sobre 7 de Setembro e extrema direita

Por Mariah Aquino

A Comissão de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara dos Deputados aprovou na quarta-feira (23/11) a convocação do ministro Augusto Heleno, do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), para prestar esclarecimentos sobre a escalada de violência por parte da extrema direita e suspeitas de ataque durante o 7 de Setembro.

O general havia sido convidado a comparecer na comissão na terça-feira (22/11) para falar sobre suspeitas de interferência da Agência Brasileira de Inteligência (Abin) em investigação conduzida pela Polícia Federal (PF) que envolvia o filho do presidente Jair Bolsonaro (PL), Jair Renan Bolsonaro. Heleno, porém, alegou problemas de saúde para não comparecer.

O deputado Aureo Ribeiro (Solidariedade-RJ), vice-presidente da comissão e responsável por apresentar a convocação, afirmou que o novo pedido “decorre do descumprimento de acordo do governo com o colegiado”. Ao contrário do convite, na convocação a presença da autoridade citada é obrigatória. Caso se ausente, corre o risco de responder por crime de responsabilidade.

A data da convocação ainda será definida. A comissão também aprovou outros dois convites: do ministro da Economia Paulo Guedes e sua irmã Elizabeth Guedes, para esclarecimentos sobre a nomeação dela para vaga no Conselho Nacional de Educação (CNE), e do ministro da Infraestrutura Marcelo Sampaio, para falar sobre a fiscalização do transporte clandestino de passageiros.

 

Deixe um comentário...