Na última semana, uma oficial de polícia chamada Angela Laurella recebeu um relatório sobre dois cães amarrados a postes em uma rua sem saída na região de Pompano, na Flórida (EUA). Sem nenhuma câmera de vigilância na área, era impossível saber há quanto tempo os cães estavam lá ou quem os abandonou. Mas com a temperatura subindo para 40 graus, ela sabia que não poderia perder mais tempo.

Angela correu para encontrar um frágil cachorro cinza amarrado com tanta força a um poste que ele mal conseguia se mover. “Ele foi amarrado a um poste com uma guia muito curta”, disse Amy Roman, fundadora da ONG 100+ Abandoned Dogs of Everglades ao The Dodo. “Ele estava absolutamente magro, desidratado, com todos os ossos e costelas salientes”.

O cachorro, que agora se chama Liam, colocou a pata na mão da oficial e abaixou a cabeça para receber carinho. “Ela apenas caminhou em direção a ele bem devagar e estendeu a mão, e ele meio que se encolheu e deu a pata, como se dissesse: ‘Por favor, me ajude a sair daqui’”, disse Roman.
A oficial Laurella percebeu que Liam não teve uma vida fácil e precisava de cuidados especiais, então ela ligou para a ONG de Amy Roman para pedir ajuda. Mesmo que o resgate ultrapassasse a capacidade do abrigo, Amy aceitou Liam sem hesitar.
Liam
Depois de várias idas ao veterinário, Liam está começou a relaxar na casa de Amy, onde o American Bully de quase 8kg está recuperando suas forças aos poucos – e comendo melhor do que nunca.
Liam

“Ele está recebendo muito amor 24 horas por dia”, disse Roman. “Ele está sendo alimentado de hora em hora para que seu corpo se acostume com isso… Temos voluntários que estão cozinhando frango cozido e arroz, então ele está amando a vida agora”.

Embora Liam ainda tenha um longo caminho pela frente, com muitas idas ao veterinário em seu futuro, ele mostra grande força de vontade.

“Ele ama a todos e não se vê mais um único osso do corpo deste cachorro”, disse Roman. “Para mim, isso diz tudo, porque depois de tudo que ele passou, ele ainda é muito grato e não guarda mágoas”.

Postado por Mary Simon

Deixe um comentário...