Mega avião dos EUA que resgatou multidão no Afeganistão deve pousar hoje no Brasil, retrospectiva

Um dos maiores aviões do mundo, o Boeing C-17 Globemaster III, deve fazer uma visita especial amanhã ao…leia detalhes…

O avião é o principal vetor de transporte dos EUA e recentemente esteve envolvido na evacuação de Cabul, levando até 823 pessoas em um único voo, mostrando sua força e grandeza. Apesar das cenas no Afeganistão serem impressionantes e tristes, o grande Boeing (que na verdade é um projeto original da McDonnell Douglas) vem em missão pacífica ao Brasil.

Como adiantou o jornal A Crítica, e foi confirmado por fontes da USAF (Força Aérea dos Estados Unidos), o avião deve partir entre hoje e amanhã dos EUA, voando para o Aeroporto Internacional de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul.

HH-60 Pave Hawk se aproximam para pouso em Las Vegas

Serão duas aeronaves C-17 para transportar dois helicópteros HH-60 Pave Hawk, versão altamente modificada do UH-60 Blackhawk. Os dois HH-60 serão utilizados no Exercício Tápio 2021, realizado pela Força Aérea Brasileira.

A FAB utiliza no exercício, que vai até o dia 3 de setembro, as aeronaves das Aviações de Caça, Transporte, Reconhecimento e Asas Rotativas. Entre elas, estão os caças A-1 AMX e A-29 Super Tucano; os helicópteros H-36 Caracal e UH-60L Black Hawk; e as aeronaves C-130 Hércules, C-105 Amazonas, E-99, R-99 e C-98 Caravan.

 

Pave Hawk realiza resgate simulado com PJs em Nevada

Ainda segundo a fonte, os helicópteros americanos provavelmente devem vir do 563rd Rescue Group, baseado no Arizona. Esta unidade é onde atuam os PJ, sigla para Pararescue Jumper, que são os militares da USAF habilitados para resgate a partir de aeronaves, seja salto com paraquedas ou desembarque a partir de helicópteros.

O objetivo dos americanos é realizar treinamento com a FAB para o chamado CSAR – Combat Search and Rescue, que é a busca em salvamento em ambiente de combate. Este tipo de missão normalmente ocorre quando uma aeronave cai em linhas inimigas e se precisa resgatar a tripulação, ou quando alguma unidade fica isolada e tem soldados feridos, e precisa ser retirada dali. O lema dos PJ é “Para que os outros possam viver”.

C-17 desembarca Black Hawk – U.S. Army photo by Sgt. 1st Class Corey Vandiver

Os HH-60 tem um sistema de comunicação e navegação exclusivo e avançado, além de contarem com tanques de combustíveis extras para voos mais longos, radares meteorológicos evoluídos para permitir voos em quaisquer condições de tempo.

Mas a principal e mais notável diferencial é a sonda de reabastecimento, que é uma espécie de “mangueira” que se entende pela frente do helicóptero, permitindo o reabastecimento em voo nas aeronaves KC-130 Hércules.

O horário de pouso dos dois C-17 não foi confirmado, mas a expectativa é que eles fiquem estacionados na Base Aérea de Campo Grande (ALA 5) até o fim do treinamento conjunto.

RETROSPECTIVA

Veja abaixo o dramático momento que pessoas que subiram no Boeing acabam caindo após a decolagem do jato no Afeganistão

Primeiro, um vídeo mostrou centenas de pessoas correndo ao redor de um Boeing C-17 Globemaster da Força Aérea dos Estados Unidos enquanto o enorme jato taxiava pelo aeroporto:

Depois, as cenas que já pareciam bastante impressionantes no vídeo acima e denotavam um risco iminente de algo ruim acontecer, de fato se tornaram algo ruim.

Outra gravação mostrando o C-17 decolando, com centenas ao redor da pista, mostra que ao menos duas pessoas haviam se agarrado ao trem de pouso da aeronave e infelizmente vieram a cair de uma grande altura à medida que o avião começava a subida:

Segundo a Reuters, cinco pessoas morreram no caos no aeroporto de Cabul nesta segunda-feira, disseram testemunhas, enquanto as tropas dos EUA cuidavam da evacuação de funcionários da embaixada um dia depois que o Talibã tomou a capital afegã e declarou que a guerra havia acabado e a paz prevalecia.

Não ficou claro como as vítimas morreram. Uma autoridade dos EUA disse que as tropas atiraram apenas para o ar, para dissuadir as pessoas que tentavam entrar à força no voo militar que deveria tirar diplomatas dos EUA e funcionários da embaixada da cidade destruída.

Grande parte dos que tentam fugir são pessoas que não concordam com a ideologia do Talibã e com a formação do emirado islâmico, bem como há outros buscando a fuga como forma de fugir da “justiça” dos extremistas, após terem apoiado o atual governo ou a presença dos Estados Unidos no país.

Poliana Skaf

Deixe um comentário...