Método de preparar café pode influenciar saúde do coração, diz estudo

Foto: Pixabay

Um novo estudo feito na Noruega, publicada na revista científica Open Heart, mostra que o método de preparo do café e a quantidade de xícaras consumidas por dia podem estar diretamente relacionados ao aumento de riscos de problemas cardíacos.

Os homens são mais prejudicados pelo consumo do café expresso, enquanto as mulheres são mais propensas a sofrer problemas do coração por beber grandes quantidades de café coado.

Os pesquisadores da universidade norueguesa UiT The Arctic University of Norway avaliaram dados de aproximadamete 21 mil pessoas com mais de 40 anos que vivem na cidade de Tromso, no país escandinavo.

O consumo de três a cinco xícaras de café por dia foi significativamente associado ao aumento de colesterol em homens em comparação com os indicadores de pessoas que não bebiam. Já o consumo de seis xícaras ou mais de café coado diariamente foi relacionado a níveis mais altos de colesterol em mulheres, mas não para homens.

O café instantâneo também teve impacto nos níveis de colesterol dos participantes, mas não na mesma proporção.

“Curiosamente, o café contém mais de mil fitoquímicos diversos. A ingestão de cada composto também depende da variedade de espécies de café, grau de torra, tipo de método de fabricação e tamanho da porção”, disse a professora Maja-Lisa Lochen, uma das autoras do estudo, à agência SWNS.

A pesquisa é observacional, o que significa dizer que não foi encontrada relação direta de causa e efeito entre beber café e ter colesterol alto, mas as informações servem de base para estudos futuros que investiguem melhor o assunto.

Deixe um comentário...