Pastor evangélico é acusado de agredir esposa em voo após mulher conseguir upgrade para primeira classe; entenda

0

Roger Allan Holmberg Sr. foi acusado de agredir a própria esposa — Foto: Reprodução

Um pastor evangélico de 75 anos está sendo acusado de agredir a própria esposa em um voo do Alaska para Virgínia, nos Estados Unidos. De acordo com relatos de passageiros dentro da aeronave, Roger Allan Holmberg Sr. se tornou agressivo após saber que a mulher recebeu um upgrade para a primeira classe e ele não.

Segundo uma queixa criminal obtida pelo The Independent, o ataque ocorreu na semana passada, em 2 de julho, em um voo da Alaska Airlines de Seattle, em Washington, para Anchorage, no Alasca. Holmberg teria abusado verbalmente da esposa e a insultado na frente de várias testemunhas.

O casal estava viajando para o Alasca para uma reunião “relacionada ao seu ministério”, afirma a queixa, apresentada em 3 de julho. A denúncia afirma que o pastor “empurrou para a frente” o assento da pessoa sentada ao lado de sua esposa e “tentou lançar o braço em direção à vítima”. O colega de assento da mulher então “inclinou-se para a frente para bloquear a tentativa de golpe, mas [Holmberg] ainda parecia golpear o topo da cabeça da vítima com a mão”, prossegue a queixa.

Uma das testemunhas, um policial que estava de folga, notou a confusão e confrontou Holmberg. “Se houver mais qualquer problema, vou te algemar”, o policial teria dito ao pastor após perceber que o homem bateu na cabeça da esposa, aponta a queixa.

No momento da aterrissagem da aeronave, um agente do FBI e um policial do aeroporto de Anchorage se encaminharam ao avião para conversar com a mulher agredida e o pastor. Ao descrever o que ocorreu aos policiais, a esposa disse que Holmberg “bateu em sua cabeça com os nós dos dedos” a bordo do avião, acrescentando que o pastor “sabia que [ela] tinha epilepsia e que o contato com [sua] cabeça poderia causar uma convulsão”, aponta a denúncia.

Já Holmberg alegou que estava “chateado” com o upgrade da própria mulher para a primeira classe pois “queria que sua esposa viajasse com ele e sentasse ao seu lado”, diz o documento.

A queixa afirma ainda que Holmberg minimizou a gravidade do ataque, dizendo aos investigadores que ele simplesmente “bateu na cabeça de sua esposa para chamar sua atenção”.

O pastor foi preso diante de uma acusação de agressão simples dentro da jurisdição marítima e territorial especial dos Estados Unidos. Ele está encarcerado no Centro Correcional de Anchorage e aguarda audiência de acusação.

Se condenado em julgamento, Holmberg poderá pegar até um ano de prisão. Um porta-voz da Alaska Airlines confirmou ao The Indepedent que o homem “foi banido de nossos voos”.

Histórico de abuso

A esposa contou às autoridades na hora da aterrissagem que o marido “tinha um histórico de abusos contra ela” e relatou que, em uma dessas ocasiões, Holmberg teria quebrado seu dedo. A queixa explica que o casal se conhecia há cerca de 20 anos antes de se casar há um ano e meio, após a morte da esposa anterior de Holmberg.

Ao ser interrogado pelas autoridades, o pastor disse que ele e sua esposa estavam se consultando com um conselheiro matrimonial em uma tentativa de consertar o casamento. Mas, de acordo com a queixa, Holmberg colocou toda a culpa dos problemas conjugais na esposa.

“[Holmberg] afirmou que [sua esposa] o desrespeitava com frequência e tinha problemas de temperamento”, afirma o documento. Sobre a denúncia de ter quebrado o dedo da própria esposa, o pastor afirma que a mulher teria agarrado sua perna enquanto ele dirigia e, por isso, acabou se machucando, aponta a queixa.

About Author

Deixe um comentário...