Vídeo. Homem é preso em SP ao assumir atuação na morte de Dom e Bruno

Gabriel Pereira Dantas. Foto: Divulgação/Polícia Civil

São Paulo – Gabriel Pereira Dantas abordou, nesta quinta-feira (23/6), policiais militares na Praça da República, na capital de São Paulo, e afirmou ter envolvimento nos assassinatos de Bruno Pereira e de Dom Phillips, referindo-se a eles como “turistas”.

Os PMs o conduziram para o 77º Distrito Policial (DP), na Santa Cecília. A Polícia Civil gravou o depoimento do homem em vídeo, segundo o G1. Não havia nenhum mandado de prisão contra Gabriel, que será apresentado para a Polícia Federal.

Dantas relatou que, após participar das mortes do indigenista e do jornalista inglês, fugiu para Santarém, Manaus, Rondonópolis e, finalmente, São Paulo. O homem de 26 anos decidiu se entregar porque estava na rua e não aguentava mais a situação.

Veja o vídeo do depoimento:

Relação com Pelado

Gabriel relatou em depoimento à Polícia Civil de São Paulo que estava morando em Atalaia na casa flutuante de um “rapaz” que conhecia “há muito tempo”. Dantas estava escondido da facção criminosa Comando Vermelho.

“Eu fui pra lá para ficar tranquilo, porque eu tinha sido ameaçado de morte em Manaus. E lá eu conheci o Pelado”, afirmou mencionando Amarildo da Costa de Oliveira, 41 anos.

Tiros

No dia que Bruno e Dom foram mortos, Gabriel estava bebendo com Pelado.

“Foi quando uns turistas passaram. Aí ele chamou, ele perguntou se eu sabia pilotar a rabeta. Eu falei que sim. Aí só entrou, e a gente saiu e foi embora. Aí foi quando a gente alcançou, e ele já chegou atirando. Uma 16, ela é uma espingarda”, disse para a polícia.

O homem de 26 anos afirmou que não sabia o que Pelado iria fazer quando o chamou para sair.

“Eu ouvi dois. Atingiu um; que a 16 é cheia de chumbo dentro. Um disparo daquele ali… Aí só fiz ajudar. [Os dois caíram] dentro da voadeira deles. A gente amarrou [os corpos] na canoa”, descreveu Gabriel Pereira Dantas.

Corpos

O homem contou que o grupo seguiu em direção à margem para um lugar bastante isolado. “Aí eu só fiz tirar [os dois]. Na hora eu fiquei em desespero”, disse.

De acordo com Dantas, Pelado pediu ajuda para outros dois homens para “dar fim nas coisas de Bruno e Dom, jogando as mochilas e coisas na margem do rio.”

Deixe um comentário...