Vieira apresenta projeto para garantir transporte de presidente eleito

Senador Alessandro Vieira (PSDB-SE). Foto: Reprodução

Por Sandy Mendes

O senador Alessandro Vieira (PSDB-SE) apresentou um projeto de lei que visa garantir ao presidente da República e ao vice-presidente eleitos o transporte nacional e internacional relacionado ao governo de transição. O texto foi apresentado após Luiz Inácio Lula da Silva (PT), recém-eleito presidente, ter sido criticado por viajar ao Egito de carona em jatinho de um empresário para participar da Conferência do Clima (COP 27).

Atualmente, a lei prevê que a Casa Civil providencie a infraestrutura e o apoio administrativos necessários à equipe do novo governo. Além da contratação de 50 assessores do dia seguinte ao resultado das eleições até a posse do novo presidente, também é garantido o apoio com salas para as reuniões. Os eleitos ainda contam com segurança de agentes da Polícia Federal (PF) ou do Gabinete de Segurança Institucional (GSI).

Em justificativa no projeto, Vieira diz que pretende “corrigir uma lacuna” no que diz respeito ao transporte para a transição, “gerando situações potencialmente constrangedoras ou mesmo de alto risco para integridade física dos eleitos”.

Carona no jatinho

Lula foi de carona com o empresário José Seripieri Filho, dono da QSaúde, para o Egito, onde participou da COP 27, a conferência da ONU sobre o clima. O empresário foi preso em 2020 na Operação Lava Jato e firmou acordo de delação premiada com a Procuradoria-Geral da República (PGR), após confessar a prática de caixa 2.

Na última sexta-feira (18/11), Lula minimizou as críticas e disse que havia sido convidado para participar da COP, mas que os estados não poderiam bancar a sua ida.

“Eu fui convidado pelos partidos e pelo governador da Amazônia para ir à COP27, mas os estados não podiam arcar com a minha despesa. Segundo, eu fui convidado pelo presidente do Egito, que também me convidou e eu fiquei muito orgulhoso, mas também não pagava minha despesa”, disse o presidente.

“E eu tinha um amigo que queria ir na COP e tinha um avião. E eu fui com ele em um avião novo, de boa qualidade, com muita segurança, porque é importante lembrar que um presidente eleito tem que cuidar da sua segurança, sobretudo em um país em que você tem bolsonaristas raivosos se espalhando pelo mundo afora”, afirmou, após ter sido alvo de críticas.

Lula ainda afirmou que “se o estado brasileiro fosse democrático e a gente tivesse um presidente responsável, quem sabe ele tivesse oferecido um avião da FAB“.

No entanto, como revelou o jornalista Igor Gadelha, o ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira, afirmou que a equipe de Lula não fez qualquer solicitação ao atual governo de uma aeronave.

Deixe um comentário...