Bolsonaro: “Ele pode me chamar de genocida, e eu não posso chamá-lo de ladrão”

Presidente Jair Bolsonaro. Foto: Alan Santos/PR

Por Monique Mello

Ao julgar ações referentes a notícias falsas durante as eleições, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) deu mais ganhos de causa à campanha do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) do que à campanha do presidente Jair Bolsonaro (PL). Um levantamento feito pelo jornal Folha de S.Paulo apontou que o petista obteve 37 decisões favoráveis na Corte contra apenas 6 do candidato à reeleição.

No total, a campanha de Lula apresentou 67 pedidos de casos de fake news ao TSE. Destes, 16 foram negados e 17 não chegaram a ser julgados ou acabaram sendo extintos. Já a campanha de Bolsonaro acionou a Corte sete vezes e teve seu pedido negado apenas uma vez.

Segundo informações da CNN Brasil, no sábado (15/10), Bolsonaro questionou os critérios usados pela Corte para julgar ações apresentadas pelos candidatos durante a campanha eleitoral. Ele fez comentários durante uma coletiva, no Ceará.

– Veja quantas ações eu ganho no TSE e quantas o Lula ganha, ele ganha quase 10 vezes mais do que eu. Ele pode me chamar de genocida e eu não posso chamar ele de ladrão. Eu sou genocida? Não. Quantos milhões de pessoas nós salvamos com vacina? Muitas. E o lado de lá quando ele desvia recursos de transposição de tudo quantas pessoas morrem? […]. ‘Vai acabar o Bolsa Família’. ‘Vai aumentar o preço da gasolina’. É o tempo todo assim. Muita gente acredita nisso. A gente vai desmentir isso aí – falou.

Deixe um comentário...