De 49 nomes já eleitos na Paraíba em 2022, 41% são de pessoas que herdaram votos de familiares

Efraim Filho. Foto: Reprodução

O sobrenome político tem força nas disputas eleitorais da Paraíba. E isso ficou demonstrado no 1º turno das eleições deste ano. Dos 49 nomes eleitos para algum dos cargos em disputa este ano, 20 são parentes de políticos que já ocuparam ou ainda ocupam cargos eletivos no Estado. Isso significa que 40% dos cargos foram ocupados por herdeiros políticos do estado.

No Senado Federal, por exemplo, o eleito foi Efraim Morais Filho (UB), que, tal como o nome indica, é filho do ex-deputado estadual, ex-deputado federal e ex-senador Efraim Morais. A propósito, Efraim Filho se elege senador exatamente 20 anos depois da vitória de seu pai ao Senado, em 2002. Outro detalhe é que o irmão mais novo do senador eleito, George Morais, foi eleito deputado estadual.

Já na Câmara dos Deputados, sete dos 12 deputados federais eleitos são herdeiros de políticos, o que equivale a 58,33% da bancada paraibana na casa.

Hugo Motta (Republicanos), por exemplo, o mais votado para a Câmara pela Paraíba, é de uma longa família de políticos de Patos. Filho do ex-prefeito de Patos, Nabor Wanderley, e neto da ex-prefeita Francisca Motta (Republicanos), que no mesmo pleito foi eleita deputada estadual.

A lista ainda tem Aguinaldo Ribeiro (PP), filho do ex-deputado federal e ex-prefeito de Campina Grande, Enivaldo Ribeiro, e irmão da senadora Daniella Ribeiro; Mersinho Lucena (PP), filho do prefeito de João Pessoa, Cícero Lucena; Romero Rodrigues (PSC), primo do ex-governador e ex-senador Cássio Cunha Lima; Murilo Galdino (Republicanos), irmão do deputado estadual reeleito Adriano Galdino; Ruy Carneiro (PSC), sobrinho do ex-prefeito de João Pessoa Carneiro Arnaud; e Gervásio Maia Filho (PSB), filho do ex-deputado estadual Gervásio Maia.

Dentre os cinco deputados federais restantes, ainda pode-se destacar os nomes de Wellington Roberto (PL), Wilson Santiago (Republicanos) e Damião Feliciano (UB), que são os líderes políticos de suas famílias, mas que já começam a eleger parentes. Wilson e Wellington, por exemplo, são pais dos deputados estaduais reeleitos Wilson Filho (Republicanos) e Caio Roberto (PL) respectivamente.

Na Assembleia Legislativa da Paraíba, são mais 12 nomes, ocupando assim 1/3 das 36 cadeiras existentes no estado.

Além dos quatro já citados, têm ainda Felipe Leitão (PSD), filho do vereador Mikika Leitão e sobrinho do ex-deputado federal Inaldo Leitão; Michel Henrique (Republicano), filho dos ex-deputados João e Edna Henrique; Tanilson Soares (PSB), filho do deputado estadual Edmilson Soares, que preferiu não tentar a reeleição; Jane Panta (PP), esposa do prefeito de Santa Rita, Émerson Panta; Doutora Paula (PP), esposa do prefeito de Cajazeiras, José Aldemir; Camila Toscano (PSDB), filha do ex-deputado estadual e ex-prefeito de Guarabira Zenóbio Toscano; Anderson Monteiro (MDB), filho do ex-deputado estadual e ex-prefeito de Esperança Arnaldo Monteiro; e Tovar (PSDB), primo do ex-governador Cássio Cunha Lima.

Líderes familiares eleitos na Assembleia ainda têm Adriano Galdino (Republicanos) e Hervázio Bezerra (PSB).

A disputa de segundo turno para o governo da Paraíba ainda conta com Pedro Cunha Lima (PSDB), que é filho e neto dos ex-governadores Cássio Cunha Lima e Ronaldo Cunha Lima.

Deixe um comentário...