Deputada critica Bolsonaro após encontrá-lo e elogiá-lo em abril

Deputada que elogiou Bolsonaro decidiu apoiar Lula. Foto: PR/Alan Santos // Lula/Ricardo Stuckert

Por Paulo Moura

Um vídeo compartilhado pelo deputado federal Carlos Jordy (PL-RJ) nas redes sociais mostra as contradições no discurso da deputada federal Daniela do Waguinho (União Brasil-RJ) que, juntamente com o marido, o prefeito da cidade fluminense de Belford Roxo, Waguinho (União Brasil), decidiram apoiar a candidatura do ex-presidente Lula (PT) ao Palácio do Planalto.

No vídeo publicado por Jordy, Daniela diz que foi uma “grande alegria e uma sensação indescritível” estar com Bolsonaro na cerimônia de sanção do projeto de lei que criou o Dia Nacional de Luta contra a Endometriose e a Semana Nacional de Educação Preventiva e de Enfrentamento à Endometriose, a Lei 14.324/2022, no qual ela constou como coautora.

O tom elogioso de Daniela em relação a Bolsonaro é reforçado também em uma publicação feita no perfil dela no Instagram no dia 12 de abril deste ano, data em que ela esteve com o chefe do Executivo. Na legenda, ela chega a agradecer ao presidente e à primeira-dama Michelle Bolsonaro “pela sensibilidade na cerimônia de sanção”.

– Agradeço ao presidente @jairmessiasbolsonaro e a primeira-dama @michellebolsonaro pela sensibilidade na cerimônia de sanção, na terça-feira (11), do projeto de lei de minha autoria que cria o dia nacional e a semana nacional da luta contra a endometriose! – escreveu ela, na época.

Daniela agradeceu pela sensibilidade de Bolsonaro. Foto: Reprodução/Instagram

A postura de Daniela, no entanto, foi bem diferente durante um ato de campanha de Lula em Belford Roxo, na última terça-feira (11). Na ocasião, a deputada disse que “nunca foi recebida” por Bolsonaro, apesar de, na sequência, ela reconhecer que esteve com Bolsonaro na cerimônia de sanção da Lei 14.324/2022. A deputada chega a afirmar que foi tratada com “indiferença” pelo presidente.

– Quando a minha lei foi sancionada, [sobre] a endometriose, e que eu estive no gabinete dele, [recebi] a indiferença, o desprezo, e eu me identifiquei, com muita humildade (…). Ele sequer me deu atenção – disse.

Vale ressaltar que no dia 6 de outubro, Waguinho, marido de Daniela, que também é presidente estadual do União Brasil no Rio de Janeiro, esteve tanto com Bolsonaro, em Brasília, quanto com Lula, em São Paulo, para conversar com os presidenciáveis sobre o apoio para o segundo turno do pleito federal.

 

Deixe um comentário...