Homem é infectado com gonorreia super-resistente a medicamentos

Foto: Getty Images

Autoridades de saúde da Áustria identificaram um caso de gonorreia super resistente a medicamentos. Um homem de aproximadamente 50 anos foi infectado durante uma relação sexual sem proteção com uma prostituta do Camboja. A transmissão ocorreu em abril, quando ele estava de férias no país do sudeste asiático.

De acordo um relatório publicado na edição deste mês da revista Eurosurveillance, o paciente, que não teve o nome revelado, apresentou alguns sintomas da Infecção Sexualmente Transmissível (IST) – ardência ao urinar e corrimento – cinco dias depois da relação sexual.

Na maioria dos casos, a gonorreia não causa sintomas e é descoberta apenas após exames de rotina. Algumas pessoas podem desenvolver incontinência urinária, inflamação das glândulas de Bartholin – responsáveis pela lubrificação da mulher, uretrite aguda, dor de garganta ou inflamação do ânus. Quando não é tratada, a gonorreia pode provocar infertilidade e doença inflamatória pélvica.

O austríaco foi medicado com antibióticos usados no tratamento padrão de gonorreia depois que exames confirmaram a doença. Embora os sintomas tenham desaparecido, testes mostraram que a infecção continuava ativa, indicando que o vírus tinha se tornado resistente aos medicamentos.

Depois disso, ele foi tratado com uma combinação de amoxicilina e ácido clavulânico por uma semana e, então, um novo teste apresentou resultado negativo.

A principal autora do relatório e integrante da Agência Austríaca de Saúde e Segurança Alimentar, Sonja Pleininger, afirmou que cepas como esta representam uma “grande ameaça global” à saúde pública caso não sejam corretamente tratadas.

“Se essas cepas conseguirem estabelecer uma transmissão sustentada, muitos casos de gonorreia podem se tornar intratáveis”, disse Sonja.

Deixe um comentário...