ONU: mais de 50 mil pessoas morreram em viagens migratórias desde 2014

© Sandy Huffaker/AFP. Migrantes brasileiros sem permissão de entrada nos EUA são apreendidos pela guarda de fronteira

Por Maria Eduarda Portela

A Organização Internacional para as Migrações (OIM), ligada à Organização das Nações Unidas (ONU), aponta que 51.458 pessoas morreram durante viagens migratórias em todo o mundo desde 2014. Grande parte das vítimas tentavam chegar à Europa.

Segundo a OIM, os governos dos países de origem, trânsito e destino das vítimas não apresentaram uma política pública eficiente para conter a crise global de migrantes desaparecidos.

O relatório destacou que não se sabe a nacionalidade de mais de 30 mil vítimas, “uma indicação de que mais de 60% dos que morrem em rotas migratórias sem serem identificados deixam milhares de famílias em busca de respostas”.

O Missing Migrants Project, relatório da OIM, destacou que as mortes são influenciadas principalmente por violência, doença/falta de acesso a cuidados de saúde adequados e acidente/morte com veículo relacionado com transporte perigoso.

O texto indica que nove mil vítimas são de origem africana e seis mil de países da Ásia. Os migrantes são principalmente do Afeganistão, Síria e Mianmar, onde as pessoas deixaram suas casas em busca de refúgio e novas oportunidades no exterior.

Grande parte das mortes aconteceram em rotas para e dentro da Europa, sendo que o Mar Mediterrâneo o local onde foram perdidas 25.104 vidas. A região registrou pelo menos 16.032 desaparecidos, cujos restos mortais nunca foram encontrados.

Segundo o relatório, 4.319 pessoas morreram apenas neste ano durante viagens migratórias.

Confira o relatório completo clicando aqui.

 

Deixe um comentário...