Prisioneiro era forçado a ouvir Slipknot e ABBA em sessões de tortura na Rússia

Ex-prisioneiro de guerra Shaun Pinner. Foto: TV estatal saudita via AFP

Por Thalys Alcântara

O ex-prisioneiro de guerra Shaun Pinner, de 48 anos, contou que na prisão da Rússia era obrigado a ouvir as bandas ABBA e Slipknot durante 24 horas, como forma de tortura. Além disso, ele levou choques, foi ferido com faca e até passou por uma simulação de execução.

Ex-soldado do exército britânico, Shaun é casado com uma ucraniana e lutou contra os russos na guerra, mas acabou sendo capturado em abril deste ano em Mariupol. Ele relatou os seis meses de prisão ao jornal britânico The Sun, após conseguir a liberdade.

“Os últimos seis meses foram os piores dias da minha vida. Eu nunca mais quero ouvir uma música do ABBA ou ver um pedaço de pão. Eu tenho muita sorte de estar em casa”, disse Shaun. Durante o tempo de prisão, a única comida era pão velho e água suja.

Tortura musical

A prisão controlada pelos russos era chamada pelo apelido de “The Dark Side”. Além das torturas físicas e ameaças, os prisioneiros eram forçados a ouvir as bandas Slipkot e ABBA, mais especificamente a música Mamma Mia. Ao ser transferido para uma segunda prisão russa, com condições menos piores, a música ininterrupta era Believe da cantora Cher.

Shaun Pinner e outros quatro reféns conseguiram liberdade após uma troca de prisioneiros de guerra intermediada pelo bilionário russo Roman Abramovich, na última semana.

Deixe um comentário...