Sem Doria, Lula pode vencer no primeiro turno, diz diretor da Quaest

Lula discursou em evento do Dia do Trabalho. Foto: EFE/Sebastião Moreira

A desistência oficial do ex-governador de São Paulo João Doria (PSDB) de sua candidatura à Presidência da República pode significar a vitória no primeiro turno para o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). A previsão é do cientista político Felipe Nunes, diretor da Quaest Pesquisas.

“Lula aumenta as chances de vitória no primeiro turno, com o voto útil, pois o eleitor do Doria rejeita mais Bolsonaro (77%) do que Lula (62%)”, escreveu Nunes no Twitter.

Porém, o cientista político aponta que, numericamente, a desistência de Doria não causa uma mudança significativa na corrida. Enquanto o ex-governador sempre figurou entre 3% e 5% da intenção de voto, Ciro Gomes (PDT) é quem tem o maior potencial de conquistar o eleitor do tucanos (54%) – Lula tem potencial de 36% e Bolsonaro de 19% entre os eleitores de Doria. Tebet, segundo Nunes, é muito desconhecida.

Por outro lado, o cientista político ressalta que a terceira via aumenta suas chances ao buscar uma opção fora da polarização. “A coordenação das elites é fundamental para que os eleitores possam tomar decisões eleitorais. Até aqui, a 3 via mais atrapalhou do que ajudou o eleitor”, disse.

Confira:

Desistência de Doria

A pré-candidatura de João Doria à Presidência da República chegou ao fim, após uma sequência de embates dentro do próprio PSDB – em que se formou resistência ao nome do ex-governador de São Paulo na corrida rumo ao Planalto.

Em pronunciamento no início da tarde desta segunda-feira (23/5), Doria confirmou que está fora da disputa presidencial em 2022.

O anúncio ocorre após o PSDB, junto com o MDB e o Cidadania, definirem conjuntamente que devem apoiar Simone Tebet (MDB) para a eleição presidencial como nome da terceira via.

Deixe um comentário...