Vazamento de gás tóxico deixa um morto e afeta 95 pessoas

Foto: Divulgação/PMJP/Arquivo

Uma mulher de 38 anos morreu e outras 95 pessoas precisaram de atendimento médico após vazamento de gás tóxico em Pontal (a 315 quilômetros de São Paulo), no início da noite de terça-feira (4). Seis pessoas seguem internadas em hospitais da região. O incidente ocorreu no Bairro Campos Elíseos, mas afetou também moradores de outras regiões da cidade. Há suspeita de vazamento de produto químico clandestino, mas já foi descartada a hipótese de que a mulher que morreu estaria manuseando algum produto.

Segundo a Polícia Militar, os moradores da Rua Alexandre Andruciolli foram os primeiros a sentir o cheiro forte e começaram a apresentar sintomas respiratórios e ardência nos olhos. Equipes da PM, Corpo de Bombeiros e da Guarda Municipal foram para o local e isolaram a área. A princípio, os moradores de parte do quarteirão precisaram deixar suas casas. Um carro de som chegou a ser usado para transmitir essa orientação e mais de mil pessoas aguardaram fora de seus imóveis.

A prefeitura da cidade disponibilizou o ginásio de esportes para abrigar as famílias. Cinquenta pessoas passaram a noite no local e puderam voltar para as suas casas na manhã da quarta-feira (5).

A Santa Casa da cidade atendeu 95 pessoas com sintomas respiratórios. Segundo o vice-prefeito e provedor da Santa Casa, João Henrique Dias Pedro, a paciente Alessandra Alves da Silva já deu entrada sem vida no hospital. Um exame deve indicar a causa da morte.

As seis pessoas que seguem internadas estão em hospitais de três cidades da região. O paciente mais grave está entubado no Hospital São Lucas de Ribeirão Preto. Uma está internada no HC de Ribeirão Preto e outra está na Santa Casa de Sertãozinho. Duas pessoas foram transferidas para a UPA de Sertãozinho e seguem em observação. Uma pessoa permanece na Santa Casa de Pontal, em observação.

A secretária de Desenvolvimento Social, Luana Modesto Pedro, informou que foram feitos testes e a água da cidade foi liberada para consumo. Um plantão de técnicos da Secretaria de Desenvolvimento Social da cidade, incluindo assistentes sociais e psicólogos, está no ginásio de esportes para atender a população.

A Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb) ainda investiga qual seria a causa do vazamento e o tipo de gás. Até o momento, não foi encontrada nenhuma atividade que pudesse ser considerada a causadora da contaminação. Técnicos da companhia seguem no local investigando a provável causa da emissão de gases e monitorando a região.

Por causa do vazamento de gás, a prefeitura de Pontal suspendeu o atendimento de todos os serviços públicos, inclusive as aulas da rede pública e privada. O atendimento deve ser retomado nesta quinta (6).

*AE

Deixe um comentário...