Amigo de Lula na transição está com direitos políticos suspensos

Anderson Adauto. Foto: Reprodução/YouTube Boca no Trombone Uberaba

Por Paulo Moura

O ex-ministro Guido Mantega, que renunciou a um posto na equipe de transição do presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT) na semana passada, não era o único integrante do grupo com direitos políticos suspensos. De acordo com informações divulgadas pelo colunista Rodrigo Rangel, do site Metrópoles, o ex-ministro Anderson Adauto está na mesma situação.

Escolhido para ajudar a equipe de minas e energia, Adauto se gaba de ser amigo de Lula e atribui ao próprio presidente eleito o convite para participar da transição. Ministro dos Transportes no primeiro governo do líder petista, ele foi deputado federal entre 2003 e 2004, ano em que concorreu e venceu a disputa pela Prefeitura de Uberaba, em Minas Gerais, onde ficou até 2012.

Adauto fez parte do rol de acusados de participação no Mensalão, mas se livrou ao ser inocentado pelo Supremo Tribunal Federal (STF). No entanto, foi do período em que foi prefeito de Uberaba que vieram as decisões que resultaram na cassação de seus direitos políticos.

A primeira foi tomada no âmbito de irregularidades na contratação de apadrinhados como agentes de saúde. A segunda, por suspeitas envolvendo a compra emergencial de remédios nunca entregues. Adauto ainda recorre, mas em razão das sentenças está impedido de assumir cargos públicos.

À coluna de Rodrigo Rangel, o ex-ministro disse que não vê problema em integrar a equipe de transição do futuro governo mesmo com os direitos políticos suspensos.

– Do ponto de vista político, se você falar sobre questões contraditórias, todos os assuntos acabam sendo contraditórios. O que eu posso dizer para você é que estou prestando minha colaboração como voluntário, numa situação transitória – declarou.

Deixe um comentário...