Bivar impõe condições para diálogo com Simone Tebet e retorno à 3ª via

Simone Tebet. Foto: Reprodução

O presidente do União Brasil, Luciano Bivar (PE), afirmou, nesta quarta-feira (25/5), que só aceita conversar sobre um possível retorno do partido à chamada terceira via caso seja procurado pelo grupo, que definiu o nome de Simone Tebet (MDB) como cabeça de chapa nesta semana.

Outra condição colocada por Bivar é que o grupo aceite integralmente uma proposta de reforma tributária, que, segundo ele, já está desenhada por sua pré-candidatura, com o auxílio de vários ex-ministros da área.

Bivar reclamou de ter esperado muito tempo para colocar de pé a proposta e só conseguiu fazer isso depois de oficialmente abandonar o grupo denominado “centro democrático” e se lançar ele mesmo pré-candidato à Presidência da República.

“É interessante eles se juntarem a nós. Se eles não acharem que é interessante, infelizmente não vai haver esse esse esse casamento”, ressaltou Bivar.

“Estava tudo empatado e a gente foi o grande causador da desintegração, desde que nós desembarcamos. A gente sabia que, se nós não desembarcássemos, eu não podia estar hoje aqui falando uma proposta real e que a gente precisava correr com isso”, disse o deputado.

“Moro não está descartado”

Bivar ainda não descartou a possibilidade de que o nome do ex-juiz Sergio Moro, hoje com planos de se candidatar ao Senado por São Paulo, possa ser colocado na mesa de negociações com a candidatura de Tebet.

“Nós vamos apresentar uma alternativa. Se nós conseguirmos levar para a imprensa que existe uma alternativa diferente do que está posto aí, acho que o vento leva”, destacou.

“Moro é filiado do partido e não está descartado. Como ele estaria descartado, se ele é filiado do partido?”, questionou Bivar, ao ser provocado sobre a possibilidade de oferecer o nome de Moro como vice. “É uma pessoa que merece nosso maior respeito”, elogiou o deputado.

Gesto de grandeza

Simone Tebet manteve conversas com Moro quando o ex-juiz da Lava Jato trocou o Cidadania pelo União Brasil e retirou seu nome da disputa, no início de abril. Na época, a senadora considerou sua atitude como um “gesto de grandeza” em nome da união da terceira via. O ex-ministro de Bolsonaro, depois, voltou a dizer que estaria disponível para ser candidato

O potencial de votos de Moro também não é descartado pela campanha da emedebista, que enxerga uma possibilidade de crescimento da chapa, caso o ex-juiz esteja presente. Até o momento, Moro foi a tentativa da terceira via que mais pontuou em pesquisas. Chegou a 11% de intenções de voto quando seu nome foi colocado, mas, ao longo do tempo, sua pré-candidatura perdeu fôlego.

Simone Tebet, até o momento, conseguiu marcar apenas 3% das intenções de voto. A senadora também manteve conversas com Bivar antes da saída dele do bloco, hoje formado apenas pelo MDB, Cidadania e pelo PSDB.

Em entrevista nesta quarta, a primeira depois da saída do tucano João Doria da disputa, Simone Tebet sinalizou que os presidentes dos partidos irão em busca de apoio tanto do União Brasil, quanto de outros partidos que possam sustentar uma alternativa à polarização entre Lula e Bolsonaro.

 

Deixe um comentário...