Eleições: 697 mil pessoas votarão fora do Brasil. Maioria está nos EUA

Foto: Hugo Barreto/Metrópoles

Por Júlia Portela

No próximo dia 2 de outubro, 697.078 eleitores em 181 cidades fora do Brasil votarão para presidente da República. O número é 39,21% maior do que em 2018, segundo dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

A Justiça Eleitoral divulgou que foram preparadas e enviadas ao exterior 989 urnas eletrônicas em 181 cidades. Além disso, outras 29 urnas de lona para votação em cédula serão remetidas para localidades em que há dificuldades alfandegárias para a entrada do equipamento eletrônico, problemas de instabilidade de energia, conflito político ou baixo contingente de eleitores.

Para estabelecer uma mesa de votação, é preciso que haja pelo menos 30 eleitores. As seções eleitorais funcionam nas sedes das embaixadas, em repartições consulares ou em locais em que existam serviços do governo brasileiro.

A cidade que receberá o maior número de urnas é Lisboa, em Portugal. São 51 equipamentos para os 45.273 eleitores brasileiros que residem na cidade. O país, no entanto, fica em segundo lugar no ranking de colégios eleitorais no exterior.

O primeiro lugar é ocupado pelos Estados Unidos, com quase 183 mil, enquanto Portugal conta com 80.896. Em terceiro lugar vem o Japão, com 76.570 eleitoras e eleitores.

Deixe um comentário...