Kat Torres tem prisão preventiva decretada pela Justiça brasileira

Kat Torres. Foto: Reprodução

Por Gabriel Lima

A ex-modelo e influenciadora Katiuscia Torres, a Kat Torres, de 34 anos, teve um pedido de prisão expedido pela 5ª Vara Federal Criminal de São Paulo. Ela é acusada de expor pessoas a condições análogas à escravidão nos Estados Unidos. A decisão foi publicada na última quinta-feira (17/11).

De acordo com o G1, a autodeclarada guru espiritual, acusada de tráfico humano no caso que envolveu as brasileiras Letícia Maia e Desirrê Freitas, já está em solo brasileiro após ser extraditada.

A pena para este tipo de condenação, de acordo com o artigo 149 do Código Penal Brasileiro, prevê de 2 a 8 anos de prisão e multa por cada crime cometido. Além da prisão, a Justiça Federal ainda emitiu um mandado de busca e apreensão e determinou a quebra do sigilo telefônico dos celulares pertencentes à guru.

Apesar do caso seguir sob sigilo da Polícia Federal, o Ministério Público de São Paulo acompanha o caso. O MP-SP, inclusive, ouviu supostas vítimas de Kat Torres por videoconferência onde foram feitas acusações como extorsão, charlatanismo, prostituição forçada, e outras promessas que faziam com que muitas mulheres deixassem o Brasil e migrassem para morar nos Estados Unidos.

Prisão de Kat Torres

Katiuscia Torres, também conhecida como Kate A Luz, Desirrê Freitas e Leticia Maia foram presas na quarta-feira (2/11) no Condado de Cumberland, na Carolina do Norte (EUA). As três, que acusaram a modelo Yasmin Brunet de tráfico humano, tentavam entrar no Canadá com documentação irregular.

Enquanto Kat Torres foi para a cadeia de Cumberland, Letícia e Desirrê foram levadas para a prisão da Polícia de Imigração (ICE), Stewart Detention Center, no estado da Georgia.

Entenda o caso

O imbróglio entre a modelo e as influenciadoras brasileiras começou após familiares e amigos de Letícia e Desirrê denunciarem o desaparecimento das jovens e acusarem a guru espiritual delas, Kate A Luz, de tráfico humano. A modelo brasileira comentou o caso no Twitter, pedindo que o caso fosse investigado.

Após a comoção que o caso tomou nas redes sociais, Letícia apareceu em vídeo, aparentemente transtornada, e acusou Yasmin de tê-la sequestrado e manter Desirrê em cativeiro.

“Fui traficada e sequestrada, não pela Kat, mas pela Yasmin! Ela tem um esquema de prostituição aqui fora! A Desirrê está em poder dela”, contou.

Além da atriz e modelo brasileira, outras pessoas estariam envolvidas no suposto esquema de tráfico, segundo denúncia de Letícia.

“O esquema de Yasmin e de tráfico de prostituta que movimenta milhões de dólares nos Estados Unidos. Vou arriscar minha vida para contar aqui tudo, mas preciso salvar a Desirrê. A Yasmin, o Luiz, o meu pai… estão todos envolvidos. Vocês não têm noção do que está acontecendo com as meninas“, ressaltou.

Dois dias depois, Kate, Letícia e Desirrê desmentiram as denúncias contra a modelo e disseram que tudo não havia passado de uma “brincadeira”, para que Brunet soubesse “como é ser acusada de algo que não cometeu”. A desculpa não colou e Yasmin Brunet registrou boletim de ocorrência na 4ª Delegacia de Crimes Cibernéticos, em São Paulo, após ser acusada de tráfico humano.

“Vou fazer questão de mostrar para elas que na internet existem, sim, leis que precisam ser seguidas, e que isso não é uma brincadeira que você faz com alguém. Esse tipo de acusação seríssima não é uma brincadeira que você faz com alguém”, disse a ex de Gabriel Medina.

 

Deixe um comentário...