Na Argentina, Lula diz que BNDES voltará a financiar projetos em países vizinhos

Lula. Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

Por Beatriz Borges

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) afirmou na segunda-feira (23) que o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) voltará a financiar projetos de desenvolvimento e engenharia em países vizinhos.

Lula deu a declaração durante pronunciamento em Buenos Aires, na Argentina, ao lado do presidente argentino, Alberto Fernández. Os dois participaram de um encontro com empresários dos dois países.

“O BNDES vai voltar a financiar as relações comerciais do Brasil e vai voltar a financiar projetos de engenharia para ajudar empresas brasileiras no exterior e para ajudar que os países vizinhos possam crescer e até vender o resultado desse enriquecimento para um país como o Brasil. O Brasil não pode ficar distante. O Brasil não pode se apequenar”, disse Lula.

O petista afirmou que a ideia é que o Brasil seja um “protagonista” internacional no financiamento de grandes projetos.

Lula também criticou a postura do BNDES durante a gestão do ex-presidente Jair Bolsonaro.

“Faz exatamente quatro anos em que o BDNES não empresta dinheiro para desenvolvimento porque todo dinheiro do BNDES é voltado para o Tesouro que quer receber o empréstimo que foi feito. Então, o Brasil também parou de crescer, o Brasil parou de se desenvolver e o Brasil parou de compartilhar a possibilidade de crescimento com outros países”, declarou o petista.

No mesmo evento, Lula destacou a importância da relação bilateral Brasil-Argentina. O país vizinho é o maior parceiro comercial do Brasil na América Latina e o terceiro, no mundo.

“A Argentina é, em toda a América Latina, o principal parceiro comercial do Brasil. A Argentina e Brasil tinham um comércio maior do que Brasil e Itália, maior do que Brasil e Inglaterra, maior do que Brasil e França, maior do que Brasil e Rússia, maior do que Brasil e Índia”, disse.

“Argentina é o terceiro parceiro comercial do Brasil, só perde para a China e para os Estados Unidos, isso tem que ser valorizado, isso só pode ser valorizado, não por conta dos presidentes, mas por conta dos empresários, são vocês que sabem fazer negócio, são vocês que sabem negociar”, completou.

Gasoduto

Mais cedo, nesta segunda-feira, Lula disse que ele e empresários brasileiros estão interessados na conclusão da rede de tubulação para transporte de gás natural argentino.

Ele acrescentou que vai criar condições para “ajudar” nas obras. O BNDES atuaria como financiador do empreendimento.

“Eu tenho certeza que os empresários brasileiros têm interesse no gasoduto. Eu tenho interesse. […] E se há interesse dos empresários, se há interesse do governo, e nós temos um banco de desenvolvimento para isso, eu quero dizer que nós vamos criar as condições para fazer o financiamento que a gente puder fazer para ajudar o gasoduto argentino”, declarou.

‘Amigo da Argentina’

Sem citar Jair Bolsonaro (PL), Lula voltou a dizer que o Brasil não tem mais um desafeto de Fernández na Presidência da República.

“Por isso meu caro Alberto você saiba que você não vai ter mais um presidente da República xingando o presidente da Argentina, você não vai ter mais um presidente da República ofendendo o povo argentino. Você vai ter daqui para frente um presidente da República que é amigo da Argentina, amigo do companheiro Alberto Fernández e que vai fazer todo esforço possível para que as duas economias voltem a crescer”, concluiu o petista.

Deixe um comentário...