PL diz que relatório identificou quebra do sigilo dos eleitores

Foto: Reprodução/EPTV

Por Leiliane Lopes

Na terça-feira (22/11), o Partido Liberal realizou uma coletiva de imprensa para divulgar os dados que foram apresentados ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com as inconsistências encontradas nas urnas eletrônicas fabricadas antes de 2020.

O engenheiro que coordena o Instituto Voto Legal, Carlos Rocha, falou de dois pontos que foram identificados nesses modelos antigos. O primeiro é a impossibilidade de associar a atividade com a urna que realizou e o segundo é a quebra de sigilo do eleitor.

Segundo ele, quando as urnas travam, são desligadas e depois reiniciadas, algumas expõe os dados dos eleitores como nome ou número do título.

Pelo menos 200 registros desses dados foram encontrados durante a apuração das urnas.

O relatório enviado ao TSE pede que o voto em cinco modelos de urnas eletrônicas sejam anulados, eles são: 2009, 2010, 2011, 2013 e 2015.

Deixe um comentário...