Rainha sentiu que a morte estava próxima e teve atitude final tocante

Rainha Elizabeth II. Foto: Reprodução

Por Marina Ferreira e Claudia Meireles

Falecida rainha do Reino Unido — região composta por Inglaterra, Escócia, Irlanda do Norte e País de Gales —, Elizabeth II não morreu por acaso em solo escocês, mais precisamente no Castelo de Balmoral. Uma fonte não identificada confidenciou ao tabloide britânico The Daily Beast que a monarca acionou um plano a fim de cumprir o último dever. O informante era amigo da majestade.

Elizabeth faleceu pacificamente, aos 96 anos, no dia 8 de setembro. Ao portal, o mensageiro disse que a rainha sentiu que a morte estava próxima e seguiu em frente com um plano para morrer na Escócia. “Ela se encontrava frágil e houve uma discussão de que deveria voltar a Windsor [na Inglaterra], onde é significativamente mais fácil obter tratamento hospitalar”, enfatizou a fonte.

“Ela teve acesso a médicos em Balmoral, mas nada como em Windsor. Balmoral é muito isolada, mas é onde queria estar, precisamente porque achava que o fim poderia estar próximo. Ela planejou morrer na Escócia para salvar a união”, ressaltou a fonte.

Vale lembrar que a Escócia tentou se separar do Reino Unido em 2014. Na ocasião, houve um referendo e os cidadãos decidiram por continuar no grupo. Entretanto, a primeira-ministra escocesa, Nicola Sturgeon, insistiu em fazer um segundo plebiscito recentemente. O historiador Tom Devine bateu na tecla que a morte da rainha ocorreu no país de “maneira consciente”.

“Eu não concordaria que ela [Elizabeth] planejasse falecer na Escócia, mas no caso do presente de despedida da rainha para o país, era morrer lá porque isso garantiu uma cobertura global massiva para a nação”, sustentou Devine. O motivo do falecimento da soberana mais longeva do Reino Unido foi revelado no dia 29/9.

Segundo o atestado de óbito, Elizabeth morreu de causas naturais. O documento foi emitido pelo Registro Geral da Escócia. Nos últimos meses, a rainha enfrentou problemas de saúde e precisou adiar a presença em importantes eventos. Em junho, ela comemorou o Jubileu de Platina por completar sete décadas à frente do trono britânico. A soberana deixou quatro filhos — rei Charles, Anne, Andrew e Edward —, oito netos e 12 bisnetos.

Caixão da rainha Elizabeth II no Westminster Hall

 

Deixe um comentário...