Transição de Lula vê herança maldita de Bolsonaro em política habitacional

Por Guilherme Amado

A equipe de transição de Lula estuda alternativas para garantir a construção de casas populares em 2023. Isso porque a Lei de Diretrizes Orçamentárias aprovada pelo governo Bolsonaro só permitiria a construção de habitações até abril.

Segundo integrantes da equipe de transição, faltariam R$ 800 milhões para o pagamento de todas as obras contratadas para o ano que vem, incluindo a retomada das que estão paralisadas. Aliados de Lula discutem alternativas para contornar a questão.

O documento aponta 511 obras do programa de casas populares e, ainda, outras 128 de urbanização, que custariam R$ 85 milhões.
O problema orçamentário acometeria ainda áreas como mobilidade urbana, saneamento básico, além de segurança hídrica e Defesa Civil.

Deixe um comentário...