Banco Central alerta para “quebra da confiança no regime fiscal”

Banco Central, no Setor Bancário Sul, em Brasília. (Foto: Sergio Lima/Folhapress)

Por Fábio Matos

O Banco Central (BC) avaliou, na quinta-feira (24/11), por meio de uma ata do Comitê de Estabilidade Financeira (Comef), que a quebra de confiança no regime fiscal pode representar uma ameaça à própria estabilidade financeira do país.

Segundo o documento, as bases do sistema financeiro do Brasil permanecem sólidas e resilientes, mas o aumento dos gastos públicos e as incertezas na política fiscal podem modificar esse cenário.

“O aumento de gastos públicos e a incerteza sobre a trajetória do endividamento podem elevar os prêmios de risco e as expectativas de inflação, com reflexos à estabilidade financeira através do aumento da volatilidade dos ativos, da piora da capacidade de pagamento dos agentes e da deterioração da qualidade do fluxo de capitais”, diz o BC no comunicado.

Segundo a autoridade monetária, “o impacto mais severo” sobre a economia brasileira “continua sendo o observado no cenário de quebra da confiança no regime fiscal”.

Na quarta-feira (23/11), o presidente do BC, Roberto Campos Neto, já havia dito que as indefinições em relação à política fiscal representavam um “peso importante” para a economia do Brasil, em um momento de preocupação dos investidores.

Países emergentes

Na ata divulgada pelo BC, a instituição aponta o potencial impacto do descontrole fiscal sobre as economias dos países emergentes.

“A combinação de inflação elevada, atividade em desaceleração e alta volatilidade nos mercados traz desafios para a comunicação das políticas monetária, fiscal e macroprudencial nesses países”, diz o banco. “Transparência, previsibilidade e credibilidade na condução dessas políticas são essenciais para mitigar os riscos sistêmicos.”

Deixe um comentário...