Caso Júlia: genitora garante ‘não se lembrar’ do momento em que matou a filha; veja vídeo

0

Julia, de 1 ano, foi morta a facadas em João Pessoa; mãe se entregou à polícia após o crime — Foto: TV Cabo Branco/Reprodução

O programa “O Povo na TV”. da TV Tambaú/SBT, exibiu na terça-feira (11), o depoimento de Eliane Nunes, acusada de matar sua filha, Júlia Cavalcante, com 26 facadas no bairro do Ernesto Geisel em outubro de 2023.

Durante o julgamento, Eliane Nunes relatou que enfrentava constantes separações com Felipe, pai de Júlia. No dia em que matou a criança, desejava que Felipe voltasse para casa para que pudessem conversar após uma discussão por um pote de sorvete. Ao perceber que Felipe não retornaria, Eliane afirmou ter entrado em surto, momento em que pegou a faca que acabaria sendo usada nas facadas contra sua filha de 1 ano.

Eliane declarou que desferiu o primeiro golpe enquanto Júlia estava no berço. Ela mencionou que não se recorda dos detalhes do momento em que atacou a criança. Sua única lembrança é de ter entrado em um ônibus e ido até a delegacia, e apenas lá, ela relata que teve consciência do ocorrido. A juíza afirma que a criança sangrou até morrer.

O júri foi presidido pela juíza Aylzia Fabiana Borges Carrillo. Foram chamadas duas testemunhas de defesa: ex-sogro de Eliane e o pai da ré. A acusação informou a repórter Pollyana Sorrentino que trouxe como testemunha o pai de Júlia.

Eliane Nunes da Silva, acusada de matar a própria filha, em outubro de 2023, foi condenada a 30 anos de prisão na terça-feira (11). O julgamento aconteceu no 1º Tribunal do Júri da Capital, em João Pessoa. Júlia tinha 1 ano e foi morta com mais de 20 facadas quando estava no berço. Eliane foi condenada por homicídio triplamente qualificado.

Veja um trecho do julgamento:

por t5

About Author

Deixe um comentário...