“Garigata”: jovem viraliza na web ao mostrar dia a dia como gari

Ester Santos compartilha dia a dia como gari nas redes sociais (Reprodução/@esthersantosoficiall/Instagram)

Por Nicole Vasques

“Quero mostrar para as pessoas que, independentemente do trabalho que você faça, não é vergonha”. Essa é a motivação de Ester Santos, jovem de 20 anos, que trabalha como gari, ao compartilhar sua rotina pelas ruas de Juazeiro do Norte, no Ceará. Conhecida como “Garigata”, ela se divide entre o serviço na limpeza e as publicações para os milhares de seguidores na internet.

Ester diz que busca mudar a ideia das pessoas sobre a profissão que exerce e que, hoje, ajuda a garantir o sustento da família. Com mais de 62 mil seguidores no Instagram, ela deseja que meninas como ela “abram o olho” e vejam que ser independente é fundamental.

A jovem conta que ganhou o apelido dentro da própria empresa, quando os colegas da coleta começaram a chamá-la dessa forma. O nome carinhoso “pegou”.

Dificuldades financeiras

Segundo Ester, foi uma amiga quem a ajudou a conseguir o emprego de gari. Antes disso, ela passava dificuldades financeiras para cuidar do filho, Miguel, que tem apenas cinco anos.

Com o dinheiro que recebe hoje, consegue ajudar a mãe e comprar as “coisinhas” para o pequeno.

A ideia de começar a compartilhar a rotina como gari partiu da mesma amiga. Para Ester, essa também é uma maneira de inspirar garotas jovens a começarem a trabalhar para não dependerem financeiramente de terceiros.

“Quero que as meninas novas iguais a mim abram o olho e vejam que ser independente é a melhor coisa que tem. Quero que elas se inspirem em mim e comecem a trabalhar para ter suas coisas, ao invés de dependerem dos outros”, destaca.

‘Me mandam procurar outro emprego’

Questionada sobre o dia a dia no serviço, Ester diz que lida com o preconceito diariamente. “A experiência é boa e ruim. O ruim são as críticas e desrespeito de algumas pessoas que acham que a gente, que trabalha como gari, não tem estudo. Acham que somos analfabetos, mas eu tenho meus estudos”, diz a jovem.

“As pessoas passam por mim e mandam eu ir estudar, procurar outro emprego”, lamenta Ester, que já trabalha como gari há quase quatro anos.

Embora as críticas sejam frequentes, ela não se abala. Atualmente, nutre o sonho de ter uma casa própria e tenta juntar dinheiro para comprar uma moto.

Quais os próximos passos?

Em meio a comentários negativos e positivos, Ester constrói uma reputação nas redes e também ganha apoio de seguidores.

Vídeo publicado pela “Garigata” no início do mês, em que ela brinca sobre ser sustentada por si mesma, já tem mais de 300 mil curtidas.

Os próximos planos da “Garigata” envolvem a política. Um de seus desejos é se tornar vereadora para “correr atrás dos direitos trabalhistas e poder ajudar os garis que sofrem sem alguns direitos”.

Se depender da personalidade firme de Ester, a conquista de um lugar na vida política é só questão de tempo.

 

Deixe um comentário...