Datafolha: para 59%, religião de presidenciáveis influencia no voto

Por Marcus Rodrigues

A duas semanas do segundo turno das eleições, 59% dos brasileiros apontam que a religião do candidato à Presidência da República influencia no momento de decidir o voto. É o que mostra pesquisa Datafolha, divulgada no sábado (15/10). Em uma escala de 1 a 5, 59% deram as notas 4 e 5 — quanto maior o número, mais alta é a relevância; 11% deram nota 3; e 26%, as notas 1; e 2,5% não opinaram. A média de importância ficou em 3,6.

A religião ganha ainda mais peso entre os eleitores de Jair Bolsonaro (PL) do que entre as pessoas que pretendem votar de Lula (PT), com média, respectivamente, de 4,2 e 3,3.

O levantamento foi feito nos dias 13 e 14 de outubro. O Instituto Datafolha ouviu 2.898 pessoas em 180 municípios. O levantamento é encomendado pelo jornal Folha de S. Paulo e a TV Globo. A margem de erro é de 2 pontos percentuais, para mais ou para menos, dentro do nível de confiança de 95%.

Na sexta-feira (14/10), o Datafolha apontou que ex-presidente Lula (PT) alcançou 53% dos votos válidos (sem brancos e nulos), enquanto o presidente e candidato à reeleição Jair Bolsonaro ficou com 47%. Os percentuais são os mesmos do último levantamento, divulgado em 7 de outubro.

Segundo a análise, Lula aumentou a vantagem entre os católicos. Bolsonaro, por sua vez, ampliou o percentual de intenções de votos entre o público evangélico.

Todas as variações de ambos os candidatos não saíram da margem de erro, que é de três pontos percentuais para católicos e quatro entre os evangélicos — para mais ou para menos.

Veja as mudanças entre os grupos religiosos:

  • Entre católicos — Lula passou de 55%, na última pesquisa (7 de outubro), para 57%, no atual levantamento; Bolsonaro oscilou de 38% para 37%.
  • Entre evangélicos — Bolsonaro passou de 62%, na última pesquisa, para 65%; na atual; Lula se manteve com 31%;

O levantamento está registrado no TSE com o número BR-01682/2022.

Deixe um comentário...