Estagnado, Ciro Gomes já gastou R$ 13 milhões com ex-marqueteiro do PT

Ciro Gomes. Foto: Rafaela Felicciano/Metrópoles

Por Fabio Leite

Alvo de uma campanha feita por apoiadores do ex-presidente Lula para desistir da corrida presidencial e ajudar o petista a vencer ainda no primeiro turno, o candidato do PDT à Presidência da República, Ciro Gomes, não conseguiu decolar nas pesquisas de intenção de voto. E não foi por falta de investimento.

O partido e a campanha de Ciro Gomes já gastaram R$ 13 milhões com o marqueteiro João Santana, que foi contratado pelo pedetista em abril de 2021 para elaborar a estratégia de comunicação e executar as peças de propaganda nas redes sociais, no rádio e na TV.

A Santana & Associados Marketing e Propaganda, empresa que João Santana tem em Salvador (BA) com a mulher, Mônica Moura, recebeu R$ 4,7 milhões do PDT no período de pré-campanha e R$ 8,3 milhões depois do início oficial da campanha. Tudo financiado com dinheiro público do fundo partidário e do fundo eleitoral.

João Santana se notabilizou por comandar o marqueting das vitoriosas campanhas do PT em 2006, com Lula, e 2010 e 2014, com a ex-presidente Dilma Rousseff. Ele e a mulher foram presos e condenados pela Operação Lava Jato e depois fecharam acordo de delação premiada no qual confessaram ter recebido pagamentos via caixa 2.

Nem a longa experiência do ex-marqueteiro do PT nem o alto investimento feito em propaganda ajudaram a alavancar Ciro Gomes. Quando João Santana foi contratado, em abril de 2021, o pedetista tinha 6% das intenções de voto, segundo o Datafolha. Agora, de acordo com o mesmo instituto, o candidato do PDT tem 8%, bem atrás de Lula (45%) e do presidente Jair Bolsonaro (33%).

A reportagem entrou em contato com a campanha de Ciro Gomes, mas não obteve resposta. O espaço está aberto para manifestações.

 

Deixe um comentário...