O federal eleito Cabo Gilberto diz que apoia Pedro para “libertar” a Paraíba, veja detalhes

Anúncio do apoio de Cabo Gilberto a Pedro Cunha Lima (Foto: Divulgação)

Por Laerte Cerqueira e Angelica Nunes

Com objetivo de lutar pela derrota do atual governador, o terceiro candidato a deputado federal mais votado da Paraíba, Cabo Gilberto Silva (PL), anunciou a Pedro Cunha Lima (PSDB). Segundo ele, o objetivo é “libertar a Paraíba”.

O parlamentar, líder da oposição, é crítico ferrenho de João Azevêdo, candidato à reeleição do PSB. 

A declaração foi em uma coletiva, na manhã desta sexta-feira (14), com a presença de vários bolsonaristas, entre eles, o prefeito de Campina, Bruno Cunha Lima (PSD), o senador eleito Efraim Filho (União); o deputado federal eleito, Romero Rodrigues (PL); e o deputado estadual Wallber Virgulino. Além de outros políticos, como o deputado federal Ruy Carneiro (PSC), a deputada estadual Camila Toscano  (PSDB), Tovar Correia Lima (PSDB).

O parlamentar, líder da oposição, é crítico ferrenho de João Azevêdo, candidato à reeleição do PSB. Ele foi eleito deputado federal com quase 127 mil votos.

“Eu não poderia ficar neutro porque sou líder da oposição. E eu tenho que ter firmeza na postura. E é libertar a Paraíba e continuar o presidente Bolsonaro governando o país […] Nós entendemos a estratégia de cada ator político, nós entendemos a estratégia dele (Pedro), mas independentemente disso eu sou o líder da oposição e tenho que apoiar o candidato Pedro para libertar a Paraíba”, cravou.

Com esse movimento, deve levar parte do “bolsonarismo raiz” para Pedro. O Cabo, assim como fizeram o deputado estadual Wallber Virgulino e ex-candidato a senador, Pastor Sérgio, acaba avalizando esse movimento de escolha de uma candidato, mais próximo ideologicamente, numa etapa na qual há apenas duas opções.

Nesse caso, Pedro é o nome mais à direita, mesmo não declarando apoio explícito ao presidente Bolsonaro, candidato à reeleição.

Difícil saber qual o efeito real dessa adesão nas urnas, mas, com certeza, o movimento do parlamentar de direita irá gerar um vento de votos para Cunha Lima.

A decisão mostra ainda uma direita conservadora, já órfão de um candidato bolsonarista raiz, dividindo-se.

PL e Nilvan 

O deputado federal Wellington Roberto, reeleito com pouco mais de 109 mil votos, presidente do PL na Paraíba, declarou que ele e o partido ficarão neutros. Não conseguiram fala pública de apoio de Pedro ao bolsonarismo.

Por motivo parecido, Nilvan Ferreira, candidato do PL ao governo no primeiro turno, anunciou no início da semana, neutralidade. Alegou que não poderia subir no mesmo palanque ao lado de uma “esquerdista”, nesse caso Veneziano (MDB), ex-candidato ao governo que era apoiado por Lula.

No anúncio falou em lealdade a Bolsonaro e condenou a postura neutra de Cunha Lima.

O fato é que se depender de estímulo, os eleitores de Gilberto, Wallber e Sérgio, já tem uma opção. Os eleitores de Nilvan que esperavam um posicionamento vão ter que decidir sozinhos. Ou não decidir. O que não muito inteligente. Mas vamos ver o que dizem as urnas.

Deixe um comentário...