À espera de Silveira, Bolsonaro evita pedir votos para Romário no Rio

Jair Bolsonaro em live. Foto: Reprodução

Por Mayara Oliveira

Em live “diária” que servirá como uma espécie de “horário político” para pedir votos em aliados, o presidente Jair Bolsonaro (PL) evitou fazer campanha para o senador Romário (PL), que tenta a reeleição ao cargo pelo estado do Rio de Janeiro nas eleições deste ano.

Na live da quarta-feira (21/9), o chefe do Executivo federal disse que só decidirá quem apoiará no estado fluminense “mais tarde”. O presidente espera pelo deputado federal bolsonarista Daniel Silveira (PTB-RJ), que tenta recorrer de uma decisão do Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro (TRE-RJ) que, no mês passado, decidiu que ele não poderá concorrer ao cargo de senador. O parlamentar vai apelar ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

“A disputa pelo Senado está mais ou menos aparelhada lá. Mas a gente espera que o PSol não vença – o que seria uma tragédia. Então, mais tarde um pouquinho, a gente decide por um nome ao Senado pelo Rio de Janeiro”, afirmou. O PSol, no entanto, não apresentou candidato ao Senado pelo Rio.

Em março deste ano, o Supremo Tribunal Federal (STF) condenou Daniel Silveira a oito anos de prisão por ataques às instituições e por organizar atos antidemocráticos. O presidente Jair Bolsonaro, no entanto, concedeu o perdão da pena ao deputado, o que fez com que a prisão de Silveira fosse revogada. Porém, o TRE-RJ entende que a graça presidencial não tira a inelegibilidade de Silveira.

Lives diárias

Bolsonaro deu início na quarta (21/9) às suas lives diárias, nas quais irá fazer, conforme ele mesmo definiu, o seu “horário eleitoral gratuito”. Nas transmissões, o atual titular do Palácio do Planalto pretende pedir votos a candidatos aliados ao governo.

“Não é natural essa live na quarta-feira, mas a partir de hoje, sempre que possível, às 19h, eu farei uma live. Isso fizemos em 2018 e nós dedicamos essa live, metade do tempo pelo menos, para questão das eleições no Brasil. E tivemos sucesso. Fizemos a nova bancada de deputados federais, muitos deputados estaduais”, afirmou na quarta-feira.

Na live de quarta-feira, o presidente lembrou que foi eleito pelo PSL, mas que precisou deixar o partido em função de “alguns problemas”. Disse também que tentou criar, sem sucesso o Aliança pelo Brasil – o partido, no entanto, não conseguiu assinaturas suficientes junto à Justiça Eleitoral.

Em busca da reeleição

“Atualmente eu estou no Partido Liberal. Não conseguimos fazer o nosso partido até o ano passado, então fomos para o Partido Liberal, e estamos trabalhando nesse partido, buscando a reeleição”, disse.

O chefe do Executivo federal ainda definiu as eleições deste ano como “uma das mais importantes da história do Brasil”.

“Estamos numa reta final. Faltam 11 dias para as eleições. Entendo que seja umas das eleições mais importantes da história do Brasil. Muita coisa em jogo, até pela polarização das mesmas. Cada um é livre para votar em quem bem entender. O voto aí é soberano. Qualquer um vai lá na urna e digita os seus candidatos”, declarou.

“Obviamente, eu faço um apelo para os candidatos que estão do nosso lado, os partidos que estão coligados conosco […] A gente conta com uma reeleição e a gente precisa ter gente afinada conosco”, prosseguiu Bolsonaro.

Deixe um comentário...