Biden critica lucros de refinarias nos EUA: “Deveriam baixar preços”

Joe Biden. © Jonathan Ernst/Reuters.

Por Deborah Hana Cardoso

Joe Biden criticou, na quinta-feira (22/9), as margens de lucros das empresas de energia dos Estados Unidos, alegando que o dinheiro deveria ir para o “bolso das pessoas”, que foram prejudicadas com os altos preços da gasolina em meio à alta da inflação.

“Os preços da gasolina caíram US$ 1,30 neste verão, uma boa notícia para as famílias. As empresas de energia estão obtendo lucros recordes e as margens dos varejistas estão 30% acima do normal”, disse em sua rede social.

“Isso é dinheiro que deveria estar no bolso das pessoas. A indústria deve repassar as economias aos consumidores, baixando os preços”, completou.

As críticas do chefe da Casa Branca são semelhantes às declarações dadas pelo presidente Jair Bolsonaro (PL) em relação à Petrobras. Antes da redução do Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), em meio aos aumentos consecutivos dos preços dos combustíveis, o chefe do Executivo reclamou, por diversas vezes, do lucro da petroleira.

Em uma das falas, o presidente brasileiro chegou a classificar os lucros da Petrobras como um “estupro”. Bolsonaro também criticou os salários de parte dos funcionários da empresa. “As pessoas da Petrobras ganham 200 mil reais, esse povo não está preocupado com o preço dos combustíveis“.

Seja no Brasil ou nos EUA, os preços nas gondulas são principalmente impactados pelo petróleo. Ou seja, as críticas de políticos sobre as petroleiras em momentos de crise econômicas são esperadas. No caso dos EUA, o país agora passa por inflação de 8,3%, a mais alta em 40 anos. Ontem, o Federal Reserve aumentou o juros básicos do país em 0,75 ponto percentual, para 3% e 3,25%.

O preço do barril no mercado internacional é negociado em torno US$ 90.

 

Deixe um comentário...