Em crise com militares, Lula dispensa número 2 do GSI

Lula. Foto: EFE/André Borges

Por Lucas Dias

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) substituiu o general Carlos José Russo Assumpção Penteado do cargo de secretário executivo do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) pelo general Ricardo José Nigri. A troca ocorre em meio ao clima de desconfiança causado pelos protestos e depredações na Praça dos Três Poderes em Brasília, no último dia 8 de janeiro.

Devido a ausência de Lula no país, o documento foi assinado pelo presidente em exercício, Geraldo Alckmin (PSB), e pelo ministro da Defesa, José Múcio. A decisão consta no Diário Oficial da União (DOU) da segunda-feira (23).

De acordo com informações da Folhapress, o motivo da troca é a proximidade de Carlos José com o ex-chefe do GSI, o general Augusto Heleno, durante a gestão de Jair Bolsonaro (PL).

A decisão de integrar Nigri como secretário-executivo ocorre devido ao seu histórico nas atividades das Forças Armadas, quando ele atuava no gabinete do ex-comandante do Exército Eduardo Villas Bôas. Ele também chefiou Missões de Paz e Aviação, atuou como inspetor-geral das Polícias Militares e comandou a Aviação do Exército em Taubaté, São Paulo.

O governo Lula vem acumulando demissões a militares desde os atos do dia 8 de janeiro. Até o momento, mais de 80 oficiais foram exonerados de cargos ligados ao Planalto. A ideia é fazer uma espécie de expurgo após a saída de Bolsonaro.

Deixe um comentário...