Polônia diz que vai entregar tanques alemães à Ucrânia independentemente da posição de Berlim

Um tanque Leopard 2 é fotografado durante um evento de demonstração realizado para a mídia pela Bundeswehr alemã em Munster, perto de Hannover, Alemanha, quarta-feira, 28 de setembro de 2011 — Foto: AP - Michael Sohn

Por RFI

O primeiro-ministro polonês, Mateusz Morawiecki, disse na segunda-feira (23) que seu governo pedirá permissão à Alemanha para enviar tanques alemães Leopard à Ucrânia, mas que planeja enviá-los independentemente da resposta de Berlim.

“Vamos pedir tal acordo, mas isso é uma questão secundária”, disse Morawiecki a repórteres.

“Mesmo que não consigamos o acordo, daremos nossos tanques à Ucrânia como parte de uma pequena coalizão, mesmo que a Alemanha não faça parte dela”, acrescentou.

A Polônia, que se declara pronta para entregar 14 Leopards a Kiev, indica que está em conversações com cerca de 15 países sobre este assunto.

A Alemanha está sob crescente pressão para entregar seus tanques Leopard à Ucrânia, que os exige insistentemente, depois que a chefe da diplomacia Annalena Baerbock considerou seu país pronto para fazê-lo, apesar da relutância do chanceler Olaf Scholz em comentar o assunto.

O primeiro-ministro polonês estimou que a Alemanha tinha um total de “mais de 350 Leopards em funcionamento” e cerca de 200 outros “em stoque”.

A ministra das Relações Exteriores alemã, por sua vez, disse no domingo (22) que Berlim não se oporia à decisão da Polônia.

“Se nos fizessem a pergunta, não nos oporíamos”, disse domingo a ministra do Meio Ambiente, Steffi Lemke, que governa em coalizão com os social-democratas de Olaf Scholz e os liberais.

“Por enquanto, a pergunta não foi feita” pela Polônia, disse a ministra, entrevistada em Paris no canal francês LCI, sobre um pedido oficial a Berlim.

Primeiro aniversário da guerra

A questão de fornecer tanques Leopard 2 de fabricação alemã à Ucrânia dominou as últimas discussões entre os aliados ocidentais. Os debates são sobre a quantidade e o tipo de assistência material a ser fornecida à Ucrânia, com a aproximação do primeiro aniversário da invasão russa.

Existem expectativas de que as duas partes preparem ofensivas de primavera (no Hemisfério Norte) para sair do impasse de uma guerra desgastante no leste e no sul da Ucrânia.

Os combates se centram atualmente na cidade de Bakhmout, no leste do país, onde os mercenários russos do grupo Wagner e as Forças ucranianas se enfrentam. A Rússia declarou no domingo (22) que suas forças estavam melhorando suas posições na região de Zaporijia no sul da Ucrânia.

Na segunda-feira (23), os ministros de Relações Exteriores reunidos em Bruxelas aprovaram uma nova ajuda militar de € 500 milhões à Ucrânia.

Deixe um comentário...